6 mudanças drásticas que acontecem no corpo depois do parto

Nasceu o bebê. Posso voltar aos anticoncepcionais
30 de janeiro de 2018
Menstruação atrasada: 13 causas que não têm nada a ver com gravidez
1 de fevereiro de 2018
Show all

Durante a gestação, muito mais coisas acontecem no corpo da mulher que o simples fato de abrigar uma criança no ventre por 9 meses. Na gravidez os hormônios transformam completamente o organismo da mãe e é depois do parto que o corpo tenta restabelecer o equilíbrio.

E, embora pouca gente fale sobre o assunto, nesse período de recuperação do corpo da mãe muitas mudanças costumam acontecer. Muitas bem incômodas, aliás.

Como você vai ver abaixo, sangramentos, alterações permanentes no corpo e uma série de outras mudanças internas e externas fazem parte desse período um tanto conturbado.

Conheça 6 mudanças que acontecem no corpo depois do parto:

1. Sangramento

Logo depois do parto, é normal que seja expelida uma secreção de cor avermelhada. É normal que outras pequenas hemorragias aconteçam no processo de recuperação do útero, que se contrai quando o bebê nasce.

Com o tempo, no entanto, esses sangramentos ficam mais espessos e desaparecem. Se, no entanto, ele permanecer, é preciso procurar um médico.

2. Contrações

E, falando em contrações do útero, o retorno desse órgão ao tamanho normal é uma das mudanças do pós parto que precisam ser listadas. Nesse processo, ele também recompõe os vasos sanguíneos que se rompem durante esse processo.

A boa notícia é que essas contrações que acontecem um tempo depois do parto estão bem longe de serem dolorosas como as sentidas durante o nascimento do bebê. Segundo especialistas, elas são mais parecidas com a cólica menstrual.

3. Incontinência urinária

Como os órgãos mudam de posição conforme o bebê vai crescendo dentro do ventre a mãe, quando a criança nasce, tudo vai retomando ao lugar. No caso da bexiga, essa mudança costuma causar vazamentos involuntários de urina.

Nessa fase, aliás, para evitar desconfortos e constrangimentos ao molhar as roupas íntimas, é recomendado que a mulher use protetor diário.

4. Perda de peso

É normal que depois do parto, durante a amamentação, a mãe perca peso. Mas, claro, esse emagrecimento pode variar muito dependendo do organismo.

Por isso, não se cobre caso você não consiga emagrecer na velocidade que deseja. Se o corpo levou 9 meses para se adaptar ao bebê, é comum que ele leve outros 9 ou até 12 meses para retornar à forma que tinha antes da gestação.

5. Aumento do quadril

Quadris maiores costumam ser uma das mudanças que as mulheres mais relatam depois do parto. Conforme especialistas, essa alteração realmente pode acontecer e faz parte da preparação para receber o bebê. Isso porque os ossos dessa região do corpo se abrem para a passagem da criança, podendo ou não retornar à posição inicial.

6. Ressecamento do órgão íntimo

Nos primeiros dias depois do parto, é comum que a lubrificação natural da região íntima feminina diminua bastante. Esse sintoma pode permanecer por semanas e até meses, o que pode, inclusive, dificultar relações sexuais.

Os médicos afirmam que isso é absolutamente natural e que vai melhorando com o passar do tempo. No entanto, caso a secura seja muito severa ou persista por muitos meses, é melhor procurar um médico.

Outros alertas

Apesar das mudanças listadas serem naturais, no período pós-parto as mulheres precisam ficam atentas aos sintomas apresentados pelo organismo.

A perda de sangue, se muito intensa, por exemplo, pode indicar endometrite, que é inflamação no útero, por exemplo. Seios vermelhos e doloridos posem indicar mastite, um problema bem comum em mães de primeira viagem.

Trombose também é um risco ao qual as mulheres devem ficar atentas depois do parto. Portanto, ao notar que as pernas doem, estão vermelhas e inchadas, procure um vascular.

Outro sintoma ao qual as mães devem ficar atentas depois do parto é à tristeza profunda. A depressão pós-parto é bastante comum e deve ser acompanhada de perto, em nome da saúde física e mental da mãe e do próprio bebê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *