Dor ciática na gravidez: o que causa e como tratá-la

5 dicas para a saúde íntima da mulher
7 de agosto de 2017
Mudança de estilo de vida pode melhorar sintomas de Síndrome dos Ovários Policísticos
9 de agosto de 2017
Show all

Durante a gestação, o corpo passa por tantas mudanças que é natural se sentir desconfortável – o peso aumenta, os seios ficam inchados, a barriga cada vez maior… Com todas essas transformações, nada mais comum do que aqueles incômodos que vão aparecendo e que podem ir desde algo passageiro a um fator limitador ao longo do dia. Entre eles, a dor provocada pelo nervo ciático é uma das principais reclamações das futuras mamães. Mas, afinal, o que causa esse problema?

“A dor ciática é uma dor de origem nervosa, causada por um pinçamento no nervo ciático ou isquiático. É uma dor irradiada que pode começar desde o final da lombar e se estender por toda a parte posterior da perna, chegando aos pés, podendo também acometer só uma parte do trajeto”, explica o professor doutor Joe Rosário, fisioterapeuta PhD em coluna.

Ainda segundo o especialista, as causas mais comuns para a inflamação do ciático acontecem quando as estruturas adjacentes a ele não permitem sua livre passagem durante o movimento. Essa condição pode estar presente em qualquer pessoa, mas, na gestação, a mulher passa por uma alteração natural da postura, podendo agravar o quadro. “Essa mudança, somada a alterações prévias, como uma escoliose (coluna em S), por exemplo, facilita o aparecimento da ciatalgia”, alerta o fisioterapeuta.

Diagnóstico correto

Você sente uma dor no fim da região lombar e pronto, já se autodiagnostica com o nervo ciático inflamado. Embora esse não seja um quadro raro, nem sempre é ele que está causando o seu problema. Por isso, é sempre muito importante ser avaliada por um profissional qualificado.

“Esse tipo de dor pode ter uma infinidade de causas. Uma hérnia de disco pode gerar uma dor semelhante por compressão da raiz nervosa; músculos demasiadamente tensos da região glútea podem gerar o que chamamos de falsa ciatalgia; pontos gatilho de músculos na região lombar também levam a dores semelhantes. O ideal é consultar um especialista que esteja atento a todos os fatores que podem causar essa dor para que seja feito um tratamento eficiente, definido sempre caso a caso”, destaca Rosário.

Tratamentos durante a gravidez

A conduta a partir do diagnóstico vai depender do que está causando a dor ciática. Assim, se o problema for postural, o ideal é fazer a correção da postura. “Existem exercícios específicos para as grávidas que podem ajudar bastante, mas nem todas as grávidas podem fazê-los”, lembra o fisioterapeuta. Por isso, qualquer decisão deve ser feita a partir de uma avaliação profissional, tanto do especialista que vai cuidar da coluna quando do médico que faz o acompanhamento da gestação.

De acordo com o profissional, as famosas cintas ou faixas de sustentação podem proporcionar algum alívio, mas quando se trata de uma falsa ciatalgia, elas não devem contribuir muito. “Nesse caso, uma bolsa de água quente na região glútea pode ajudar”, recomenda.

Em geral, o tratamento em casos de inflamação do nervo é feito com medicamentos anti-inflamatórios, mas há uma grande discussão a respeito do uso dessas substâncias durante a gestação. “Muitas medicações podem afetar de maneira negativa o desenvolvimento da criança e, de todo modo, mesmo para homens e mulheres não grávidas, os anti-inflamatórios não devem ser tomados indiscriminadamente, necessitando sempre de prescrição médica. Para as grávidas, a atenção deve ser redobrada”, alerta o médico. Há, portanto, medicamentos que costumam ser prescritos às gestantes, mas sempre com muito cuidado.

Tratamentos alternativos, como massagens na região lombar, sessões de acupuntura e exercícios realizados na piscina também podem aliviar as dores, mas, vale lembrar mais uma vez, tudo deve ser feito com o consentimento do obstetra que realiza o pré-natal. Outras medidas como acomodar bem a barriga na cama na hora de dormir, usar sapatos confortáveis, evitar carregar peso e prestar atenção na postura podem ajudar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *